Publicações

A temática da escravatura tem vindo a convocar algumas reflexões, que, sob diferentes perspetivas e nomenclaturas formais (como livros, e-ensaios, etc.), têm vindo a assumir, por sua vez, a importância que esta problemática há muito parecia reclamar. E é nesse sentido que o projeto Testemunhos da Escravatura. Memória Africana recuperou algumas delas, deixando-as aqui enquanto sugestões bibliográficas.




Viagem ao Fundo das Consciências. A Escravatura na Época Moderna

#

Maria do Rosário Pimentel. Viagem ao Fundo das Consciências. A Escravatura na Época Moderna. Lisboa: Colibri. 1995


Segundo palavras da autora, este é “um trabalho que recai sobre a escravatura moderna e, particularmente, sobre a do homem africano. Na primeira parte, são analisadas algumas realidades do comércio escravista no espaço português. Em análise está a compreensão dos processos mentais em jogo que, ao longo desta época, foram justificando ou contestando o tráfico e a escravidão. [...] A concluir a terceira parte, o estudo tem como objectivo o percurso legislativo e diplomático, relativo à abolição do tráfico e da escravatura."

Os Negros em Portugal – Séculos XV a XIX

#

Ana Maria Rodrigues (coord.). Os Negros em Portugal – Séculos XV a XIX. Lisboa: Comissão Nacional para as Comemorações dos Descobrimentos Portugueses. 1999


Catálogo de exposição realizada no Mosteiro dos Jerónimos, entre 23 de setembro de 1999 e 24 de janeiro de 2000, da responsabilidade científica de Didier Lahon e Maria Cristina Neto. Primeira exposição realizada em Portugal sobre a matéria. O catálogo reúne, pioneiramente, um conjunto significativo de obras de museus, arquivos e de coleções particulares nacionais e inúmeros e diversificados textos, o que fez deste trabalho uma excelente base de pesquisa para os projetos que se lhe seguiram. “Eis quatrocentos e cinquenta anos da presença ininterrupta, e, Portugal, de negros e mestiços, escravos ou não. (...) ainda que na origem, a sua presença tenha sido maioritariamente forçada e apesar da sua integração e/ou assimilação, não podemos permanecer na tentativa de esquecer esta realidade da nossa História social que do ponto de vista cultural, merece ser encarada e resgatada”, conforme afirmam os seus autores na introdução.

Portugal e a Escravatura dos Africanos

#

João Pedro Marques. Portugal e a Escravatura dos Africanos. Lisboa: Imprensa do Instituto de Ciências Sociais. 2004.


Segundo palavras do autor, “Portugal foi muitas vezes apresentado como o criador da escravatura dos africanos. O autor afasta-se dessa retórica culpabilizante para sublinhar que os portugueses de quatrocentos não inventaram o tráfico transoceânico nem a escravidão colonial. Estabeleceram - isso sim - novos canais de ligação das tradições escravistas da Europa e da África que proporcionaram o estabelecimento de complementaridades comerciais e que, reforçando tendências preexistentes, impeliram brancos e negros para rumos muito desiguais.

A história da escravatura negra, na qual Portugal teve um importante papel, é precisamente a história desses rumos.”

Interessa recordar que João Pedro Marques já anteriormente se tinha dedicado à temática, nessa altura deu particular relevo à abolição da escravatura. Tanto é que o livro, publicado em 1999 (igualmente pela Imprensa do Instituto de Ciências Sociais), mereceu o título de: Os sons do silêncio: o Portugal de Oitocentos e a abolição do tráfico de escravos.

Os Africanos em Portugal: História e Memória (Séculos XV-XXI)

#

Isabel Castro Henriques. Os Africanos em Portugal: História e Memória (Séculos XV-XXI). Lisboa: Comité Português do Projeto UNESCO “A Rota do Escravo”. 2011


Catálogo de exposição documental itinerante da responsabilidade de Isabel Castro Henriques, organizada no âmbito do Comité Português do Projeto UNESCO “A Rota do Escravo” (projeto que foi oficialmente lançado em 1994, na cidade de Quidah, no Benim) e que reflete sobre diversos aspetos da presença africana em Portugal desde o século XV até ao século XXI; Africanos: Uma Nova Mercadoria (XV-XVI); Bairro do Mocambo em Lisboa; A Integração dos Africanos (XVI-XIX); A Desumanização dos Africanos; Estratégias Africanas; Permanência e Mudanças (XVIII-XX); Novas Dinâmicas Africanas (depois de 1974).

Como afirma a autora: “A presença africana em Portugal difere de qualquer outra: a maioria dos homens, mulheres e crianças não vieram de livre vontade, mas capturados ou comprados em África, para serem desembarcados como escravos no extremo ocidental do fragmento ibérico da Europa. Despojados de tudo, os africanos marcaram fortemente o país. Se a visibilidade dessa presença nem sempre aparece claramente delineada, uma análise mais sistemática revela a densidade da intervenção africana na organização da sociedade portuguesa: no trabalho e na produção, na língua, na religião, na festa, na música e na dança, no corpo e na sexualidade, na toponímia.” (p.7). Estes trabalhos evidenciam-se, também, pela ampla recolha iconográfica.

Para aceder ao livro Os Africanos em Portugal: História e Memória (Séculos XV-XXI), consulte: http://www.ces.uc.pt/myces/UserFiles/livros/1097_Miolo_Finalissimo%20Ultimo_Frances_4_DEZ.pdf


Se tiver interesse em saber mais sobre o projeto “A Rota do Escravo”, que está sediado no Centro de Estudos sobre África e do Desenvolvimento presente no ISEG, aceda a:

http://pascal.iseg.utl.pt/~cesa/rotadoescravo/?pag...

"Os Escravos na Lisboa Joanina"

#

Delminda Rijo. "Os Escravos na Lisboa Joanina", in separata da revista CEM - Cultura, Espaço & Memória, n.º 3. 2012


O presente estudo teve como objetivo avaliar a expressão do indivíduo escravo na sociedade de Lisboa na primeira metade do século XVIII. Como se organizou e estruturou social e familiarmente e que estratégias de integração e participação engendrou numa sociedade que lhe era adversa e de total subordinação ao outro, mas na qual exerceu um papel fundamental.


O presente artigo está disponível no endereço: http://ler.letras.up.pt/uploads/ficheiros/11298.pdf

Lisboa, Cidade Africana. Percursos de Lugares de Memória da Presença Africana. Séculos XV-XXI

#

Isabel Castro Henriques e Pedro Pereira Leite. Lisboa, cidade Africana. Percursos de Lugares de Memória da Presença Africana. Séculos XV-XXI. Lisboa/Ilha de Moçambique: Marca d’Água - Publicações e Projetos. 2013


Um roteiro elaborado no âmbito do Comité Português do Projeto da UNESCO “A Rota do Escravo” que nos oferece várias propostas de percursos na cidade relacionados com as vivências dos africanos e escravos. Apresenta ainda um conjunto significativo de iconografia. Um dos primeiros trabalhos que evidencia os lugares de memória no espaço físico de Lisboa, na linha da obra, anteriormente publicada pela autora, Os Africanos em Portugal - História e Memória (Séculos XV-XXI).

Para aceder ao livro Lisboa, cidade Africana. Percursos de Lugares de Memória da Presença Africana. Séculos XV-XXI, consulte: http://recil.grupolusofona.pt/bitstream/handle/104...

A Historiografia sobre os Escravos em Portugal

Jorge Fonseca. “A historiografia sobre os escravos em Portugal”, in, Cultura [Online], Vol. 33 de 2014. Disponível no endereço: http://cultura.revues.org/2422 ; DOI : 10.4000/cultura.2422 [consultado a 30 setembro de 2016].


Importante resenha comentada sobre a bibliografia e estudos publicados sobre escravatura, atualizada a 2014. As primeiras referências reportam-se aos estudos realizados no século XIX , contemporâneos do movimento abolicionista, mas só após a implementação da democracia e o fim do colonialismo se assiste a uma renovação da historiografia e a um aumento de publicações.

“Da costa ocidental africana a Lisboa: o comércio de escravos nos séculos XV e XVI”

#

Arlindo Manuel Caldeira. “Da costa ocidental africana a Lisboa: o comércio de escravos nos séculos XV e XVI”, in, revista digital Rossio. Estudos de Lisboa, n.º7, 2017. Lisboa: CML-DMC-DPC, Gabinete de Estudos Olisiponenses.

Disponível em: https://issuu.com/camara_municipal_lisboa/docs/rossio_7/62

A versão interativa da revista pode ser descarregada aqui: http://www.cm-lisboa.pt/fileadmin/DOCS/Publicacoes/publicacoes-digitais/Revista_Rossio/rossio_estudos_de_lisboa_n7.pdf