Fundação Mário Soares

A Fundação Mário Soares participa no projeto Testemunhos da Escravatura. Memória africana, na continuidade aos trabalhos que desenvolvemos, designadamente na Guiné-Bissau. Dando seguimento a um projeto levado a cabo pela ONGD guineense AD-Acção para o Desenvolvimento, COAJOQ-Cooperativa Agropecuária de Jovens Quadros e AIN-Associazione Interpreti Naturalistici, de edificação de um Memorial da Escravatura e do Tráfico Negreiro, em Cacheu, inaugurado em 8 de julho de 2016, a Fundação Mário Soares participou na abordagem dessa temática, quer apoiando a conceção arquitetónica do edifício escolhido, quer a investigação e musealização do Memorial. Para o efeito, e com a direção científica da Prof.ª Doutora Isabel Castro Henriques, a Fundação desenvolveu uma solução expositiva e editou o respetivo catálogo, disponível no endereço: http://casacomum.org/cc/noticia_individual?idDest=112.

Sobre o Memorial da Escravatura e do Tráfico Negreiro, visite o endereço: http://casacomum.org/cc/dossiers/memorial/


Ruínas do antigo Porto de Cacheu

Ruínas do porto antigo de Cacheu que, segundo a tradição oral, servia para embarque de escravos. Recorde-se que a cidade de Cacheu, na atual Guiné-Bissau, desempenhou um papel crucial nas rotas do comércio negreiro transatlântico até finais do século XVII, quando outras praças assumiram essa relevância. Fotografia AD-Acção para o Desenvolvimento.

Seleção de documentos e textos : Alfredo Caldeira (FMS)

Porto antigo de Cacheu

Fundação Mário Soares

Peças e Documentos

  • PortoantigoCacheu2BR.jpg