Museu Nacional do Traje

Peças de joalharia com “minas novas”

A designação “mina nova” é o termo vulgar para identificar uma pedra incolor amplamente utilizada na joalharia portuguesa da segunda metade do século XVIII e primeiro quartel do século XIX.

Esta pedra é originária do Brasil, provavelmente da localidade de Minas Novas no estado de Minas Gerais. De natureza mineralógica diversa, as gemas mais comumente identificadas como “minas novas” são o quartzo, o topázio, o berilo (água-marinha de tom pálido ou goshenite, incolor) e, por extensão, o vidro.

A participação de escravos africanos favoreceu a mineração e extração de gemas em Minas Gerais no século XVIII e ainda hoje é discutido o papel que estes desempenharam com a sua experiência em catividades de mineração, juntamente com os técnicos mineradores europeus. Na realidade, os africanos vindos da Costa da Mina (Golfo da Guiné, atuais Gana, Togo, Benim e Nigéria) representavam, até ao início do século XIX, cerca de metade da mão-de-obra escrava presente nas minas.

A joalharia portuguesa beneficiou da abundância de pedras oriundas do Brasil que substituíam o diamante. O facto de serem menos dispendiosas, mais abundantes e de maiores dimensões constituiu motivação para a sua utilização e o próprio desenho das jóias acompanhou um maior uso das pedrarias encastoadas em metal, sobretudo prata. No final do século XVIII, eram apreciadas jóias e acessórios mais uniformes na decoração, realçando-se o brilho e a cor de uma única gema, sendo disso exemplo as peças selecionadas da coleção do Museu Nacional do Traje.


1. Sapatos (par)

1770-1780

Tecido de seda amarela lavrado a cor-de-rosa, verde, azul e branco. Fivela de metal prateado com incrustação de minas novas e pedras azuis.

MNT Inv. nº 4289


2. Botões de punho (par)

Final do século XVIII, princípio do século XIX

Metal prateado com mina nova encastoada.

MNT Inv. nº 4940; 4941


3. Botões

c.1750

Metal prateado com incrustação de minas novas.

MNT Inv. nº 4543; 4544; 4581


4. Botão

1750-1770

Metal prateado com incrustação de minas novas e vidros verdes.

MNT Inv. nº 4561


5. Alfinete

2ª metade do século XVIII

Metal prateado com incrustação de minas novas.

MNT Inv. nº 4816


6. Alfinete

1775-1820

Esmalte sobre cobre e incrustação de minas novas.

MNT Inv. nº 4820


7. Brincos (par)

c.1770

Prata com incrustação de minas novas.

MNT Inv. nº 4944


8. Fivelas de sapato (par)

c.1770

Prata com inscrustação de minas novas.

MNT Inv. nº 4932


9. Fivela

Século XVIII

Prata com incrustação de minas novas.

MNT Inv. nº 4945


10. Sapatos (par)

1770-1780

Tecido lavrado de seda verde e creme. Fivela de metal prateado com incrustação de minas novas.

MNT Inv. nº 4272


Coordenação: Clara Vaz Pinto

Seleção de peças: Dina Caetano Dimas; Elsa Mangas Ferraz e Xénia Flores Ribeiro

Texto: Xénia Flores Ribeiro

Botão de metal prateado com incrustação de minas novas

Museu Nacional do Traje

Peças e Documentos

  • 4940_4941.jpg
  • 4945.jpg
  • 4932.jpg
  • 4820.jpg
  • 4816.jpg
  • 4581.jpg
  • 4544a.jpg
  • 4543a.jpg
  • 4289a.jpg
  • 4289.jpg
  • 4272c.jpg
  • 4272BR.jpg